"A CLINVET é um hospital veterinário 24 horas que cuida do seu pet com
competência e amor" Dra. Paola Américo

 

ATENDIMENTO
24 HORAS

English bulldog with emergency kit isolated

Primeiros Socorros Pet. Prepare…

Eles são agitados. Destrambelhados. Curiosos. Brincalhões. Sem contar nos casos que lá estão eles: no lugar errado, na hora errada. Os donos não têm como prever os acidentes envolvendo os bichinhos de estimação, mas precisam ser capazes de prestar os primeiros atendimentos, porque a rapidez faz toda a diferença para que o machucadinho, por exemplo, não evolua para uma feridona infeccionada.

 

Assim como temos um kit de primeiros socorros pra gente, é indicado ter um especial pros nossos bichinhos, já que alguns itens são específicos. Existem alguns bem básicos com gaze, algodão e antisséptico que podem ser encontrados em pet shops, mas o melhor mesmo é cada dono montar o seu. Afinal, cada dono sabe o comportamento do seu animal, as encrencas que costuma se meter e o que é bom ter à mão. Hoje a nossa missão é ajudá-lo a organizar tudo isso!!!

 

O primeiro item a pensar é o recipiente. Não é questão estética. Quando recorrer ao kit, você estará afoito e no meio da emergência, a última coisa que vai querer é uma bagunça. Pense em algo móvel. Nada de gavetas, já que não podem ser carregadas de um lado pro outro. Por isso, o ideal é um caixa de plástico ou até uma maleta ou mochila.

 

Neste recipiente, mantenha sempre:

  • algodão;
  • rolo de gaze;
  • rolos de atadura;
  • fita de primeiros socorros – como micropore e esparadrapo;
  • cotonetes;
  • pó hemostático – é um pozinho antisséptico e bactericida que interrompe o sangramento, muito usado por manicures.

 

Equipamentos – Alguns itens podem até parecer supérfluos, como um cobertor ou toalha, mas são essenciais para evitar, por exemplo, um choque térmico ou perda rápida de temperatura. Lembrando que os donos precisam sempre se precaver ao cuidar de um bichinho ferido, porque por mais dócil que seja o animal, é comum ele morder se estiver ferido ou assustado.

  • focinheira – um cão com dor pode se tornar agressivo, o que impede os primeiros socorros.
  • conta-gotas e seringa oral;
  • pinças;
  • alicate de bico;
  • tesoura;
  • luvas descartáveis;
  • toalhas limpas;
  • toalhas de papel;
  • um cobertor grande, que pode ser usado como uma maca, caso seja necessário mover ou carregar seu animal de estimação;
  • um segundo cobertor para manter seu animal de estimação quente;
  • bolsa de água quente ou um daqueles pacotes de gel que podem ser congelados ou aquecidos – lembre-se de que, caso seja necessário utilizá-los, frio ou quente,  não os coloque diretamente em seu pet, proteja-o com uma toalha;
  • termômetro.

 

Medicamentos  Coloque as medicações que ele mais costuma usar, seja no caso de enjoo ou até de uma alergia. Aqui também é fundamental consultar seu médico veterinário para que ele possa lhe orientar sobre os principais medicamentos. Uma dica importante: escreva na embalagem para que servem e a dose recomendada, isso facilitará muito a sua vida no caso de precisar utilizá-los.

 

A lista de medicamentos básicos que podem compor seu kit e ajudar muito na hora da emergência e até nas orientações do primeiro contato por telefone com o médico veterinário:

  • pomadas antissépticas, desinfetantes e antibióticas;
  • soro fisiológico;
  • solução de limpeza da orelha;
  • água oxigenada 10 volumes;
  • medicamentos para diarreia;
  • remédio para alergias;
  • medicamento para aliviar a coceira;
  • remédio contra enjoo.

 

A médica veterinária Paola Américo lembra que não é aconselhado dar medicação humana para os bichinhos, nem usar a medicação do gato no cão e vice-versa. “Isso pode ser muito perigoso para a saúde deles”, ressalta.

 

Paola também lembra que a periodicamente das datas de validade dos medicamentos devem ser sempre verificadas e que o kit deve ser mantido em um local de fácil acesso na casa. “Não deixe de levá-lo nas viagens com os bichinhos também. Eles vão estar em ambiente diferente e é um bom momento para resolverem aprontar”, brinca.

 

Cristiane Amaral é jornalista, pós-graduada em marketing. Foi repórter da TV Tribuna, em Santos, e atualmente da TV Globo, em São Paulo. É mãe da Malala, uma maltês conectada nas redes sociais @malala_dog.